Tributo ao Rock Progressivo, apoiado pelo ICI, vai resgatar o movimento que revolucionou o estilo musical

16 de Agosto de 2021

A década de 1960 e 1970 foi um marco para o Rock. A inserção de instrumentos da música clássica ao estilo mais “pesado” do Rock criou um novo movimento, revolucionário para o estilo. Dessa junção de clássicos, nascia o Rock Progressivo. As referências dessa época: Rick Wakeman, Emerson, Lake & Palmer e Pink Floyd, entre outros grandes nomes, reinam até os dias de hoje.

E para fazer um verdadeiro tributo, relembrar, manter vivo e criar novas vivências, o projeto Tributo ao Rock Progressivo nasceu. Ronaldo Gravino e Graziani Moraes idealizaram o projeto, que tem apoio do Instituto Cultural Ingá (ICI) e foi aprovado pela Lei Nacional de Incentivo à Cultura.

O projeto vai realizar dois shows, totalmente gratuitos, em Maringá e Londrina. Serão 19 músicos no palco, além de uma banda de rock para apresentação das 12 canções minuciosamente selecionadas. Instrumentos de sopro, cordas e percussão serão incorporados aos traços do rock and roll para fazer uma viagem no tempo. O projeto propõe também uma aula-show em uma escola de Maringá.

Tributo ao Rock Progressivo está em fase de captação de recursos, mas o trabalho intenso de pesquisa e elaboração começou há meses. Direta e indiretamente serão 60 profissionais do mundo musical envolvidos no projeto.

“Queremos trazer a vivência do palco, com arranjos instrumentais, fortalecer o Rock tradicional com a música clássica e remeter aos anos 60 e 70, tanto na vestimenta e sonoridade”, enfatizou Graziani Moraes.

Segundo Ronaldo Gravino, o Rock Progressivo foi um movimento revolucionário. “Vamos resgatar esse movimento que revolucionou uma geração e a forma de se fazer rock. Trazer a galera saudosista do Rock Progressivo e agregar a essa nova geração de excelentes músicos que temos em Maringá e região que apreciam esse estilo”, disse.

O projeto prevê a expansão para outras cidades do Paraná e também do País. “Não queremos que esse trabalho pare por aqui. A ideia é ter as duas concepções dos shows para o ano que vem em Maringá e Londrina, e aí partimos para expandir o Tributo ao Rock Progressivo para o Paraná e Brasil. É um projeto que não pode ficar parado”, finalizou Gravino.

Como agência de fomento e incentivo à Cultura, o ICI apoia iniciativas que valorizem os movimentos culturais e agreguem ao futuro do cenário cultural. Acreditamos no potencial do projeto e sabemos que, quando possível de ser realizado, o evento vai movimentar não só a cadeia produtiva do setor cultural, como outros pilares da economia local”, validou o presidente do ICI, George Coelho.

SAIBA MAIS SOBRE O PROJETO "TRIBUTO AO ROCK PROGRESSIVO".

CONHEÇA OS DEMAIS PROJETOS APOIADOS PELO ICI.

Você também pode gostar

Instituto Cultural Ingá lamenta morte de Maurício Borges, pai da bailarina Magó
O Instituto Cultural Ingá (ICI) lamenta profundamente a morte do publicitário Maurício Borges, pai da bailarina Magó. Ele foi um grande incentivador no campo das artes e sempre esteve envolvido em ações culturais da cidade. Borges foi vítima de um acidente de trânsito no...
Pesquisa revela perfil do leitor na Bienal de São Paulo
A pesquisa Retratos da leitura em eventos do livro e literatura, parceria entre Itaú Cultural e Instituto Pró Livro (IPL), revelou o perfil do leitor na 26ª Bienal internacional do livro de São Paulo: mais presença de mulheres e jovens e maior influência das redes sociais ...
Curso de extensão “Realidade expandida nas artes"
O curso de extensão Realidade expandida nas artes – parceria do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper) com o Itaú Cultural – apresenta os principais usos de realidade virtual e aumentada no contexto das artes e como podem ser criados modelos de experiências virtuais util...