Oportunidade: Edital para produção cinematográfica

27 de Janeiro de 2022

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e a Agência Nacional do Cinema (Ancine) publicaram o primeiro edital de 2022 para produção cinematográfica, após renovação de contrato com o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), até 2026. As inscrições começam em 14 de março e se estendem até 13 de maio.

O edital é destinado à seleção, em regime de concurso público, com propostas de novos realizadores de produção independente de obras cinematográficas brasileiras de longa-metragem de ficção, documentário e animação. O propósito inicial é o mercado de salas de exibição, apresentadas por meio de produtoras brasileiras independentes

Um comitê avalia tecnicamente as propostas, de acordo com os critérios estabelecidos pela agência de cinema e o BRDE operacionaliza os recursos do FSA para os projetos aprovados pela Ancine.

De 2013 a 2021, foram firmados 4.167 contratos no valor total de R$ 2,86 bilhões. Só em 2021 foram 551 contratos que abrangeram 25 estados, somando R$ 407 milhões.

De acordo com a Ancine, o objetivo é investir em obras audiovisuais, a fim de contribuir para a expansão da participação do filme brasileiro no mercado de salas de exibição.

Confira a íntegra do edital no link Novos Realizadores 2022.


Fonte: AEN

Imagem: Ilustrativa/Pixabay

Você também pode gostar

Profice abre prazo para inscrições de projetos artísticos e culturais
A 4ª edição Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (Profice) está com inscrições abertas. Na modalidade incentivo fiscal, o programa da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, por meio da Superintendência-Geral da Cultura, te...
Documentário “O Silêncio das Rosas” deve ser lançado em junho
O documentário “O Silêncio das Rosas” trata sobre violência doméstica e feminicidio. É um projeto financiado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura com fomento do Instituto Cultural Ingá (ICI).O filme, inteiramente filmado em Maringá, traz 21 entrevistas. Entre os e...
Renúncia fiscal é uma forma inteligente e sustentável de investir na cultura local
Uma empresa enquadrada no Lucro Real pode abater até 4% do Imposto de Renda devido para investir em projetos artísticos e culturais. É o processo de renúncia fiscal.  Por meio da Lei Nacional de Incentivo à Cultura – Lei Federal nº 8.313/91, empresários podem contr...