1º Falares - Festival de Literatura Oral leva poesia, batalha de rima e show de rap pra rua

28 de Abril de 2024

A segunda etapa do Falares - Festival de Literatura Oral, projeto que tem o Selo Paraná Festivais, acontece dia 4 de maio na Vila Olímpica de Maringá, no vão do restaurante popular, das 13h30 às 22h. Seis espetáculos diferentes de literatura oral com artistas maringaenses, paranaenses e de renome nacional serão apresentados gratuitamente, sempre com o acompanhamento de intérpretes de Libras.

O objetivo do projeto é valorizar a literatura oral e o seu caráter estético, instigando a curiosidade do público por essas manifestações artísticas e incentivando o consumo delas. Realizado em duas etapas (a primeira aconteceu ao longo do mês de abril em escolas e instituições), o festival vai apresentar um total de nove gêneros orais diferentes para mostrar a diversidade da cultura brasileira. A primeira etapa promoveu ações de contação de história, cantiga de roda e repente. Já o evento do dia 4 terá em sua programação, nessa ordem: sarau, slam (campeonato de poesia falada), performance de poesia falada, espetáculo poético, batalha de rima e show de rap. 

“A literatura oral é presença, encontro, corpo e movimento, por isso, selecionamos espetáculos que promovem essa troca entre os artistas e o público. A programação do Falares também foi escolhida para fortalecer as manifestações da cultura de rua já desenvolvidas pela comunidade jovem em Maringá e região, além de ampliar o repertório de atividades literárias orais consumidas pela população”, explica a coordenadora geral e curadora do projeto, Érica Paiva Rosa.

Participam da segunda etapa do festival os poetas Alê; Bolinha Podre; Devequi; Digalvi; Geo Ragioto; Gi Gasino; Gui Fioratti; Jazz; Jéssica Campos; Madu; Michelle Joaquim, Nati e Suélen Dominguês, além dos MCs Afroline; AK Sinistra; Doido MC; Felipage; GHC; Cleópatra; Ornaghi e Poeta Gabriela.

O Slam das Gurias (Curitiba) também apresenta o espetáculo poético “Rasgo”, que relaciona elementos teatrais com a poesia marginal, utilizando textos autorais das artistas. Composto por três atos, o espetáculo evidencia a força e a potência das vozes que rasgam o peito, os ouvidos e os panos. Falando de suas vivências, sobre a solidão da mulher preta, relacionamentos tóxicos, questões de classe e de tudo que as atravessa. Os textos questionam o feminicídio, o racismo e o imperialismo.

Para fechar a primeira edição do Falares, o rapper cearense RAPadura Xique-Chico se apresenta a partir das 21h. Ele desenvolve um trabalho que traz uma mistura contemporânea de rap com a tradição da cultura popular brasileira. Suas letras falam do Nordeste, da seca, do agricultor, da mulher rendeira, da cidade, dos processos de urbanização e dos sentimentos contemporâneos. Um dos primeiros artistas nordestinos a produzir rap e unir ao estilo que usa batidas e letras de protesto a tradicional cultura nordestina, como forma inédita de linguagem, expressão e protesto. O estilo original do artista abriu espaços para se apresentar ao lado de Lenine, Criolo, gravou uma participação no acústico do O Rappa e tem parcerias com BaianaSystem e Rashid, dentre outros. Seu mais recente lançamento, o álbum “Universo do Canto Falado”, foi indicado ao Grammy Latino em 2020.

 

Serviço:

1º Falares - Festival de Literatura Oral

Dia 4 de maio na Vila Olímpica (vão do Restaurante Popular)

Entrada gratuita 

 

Programação:

13h30 Sarau

14h30 Slam (campeonato de poesia falada)

17h Performances de poesia falada

17h30 Espetáculo poético “Rasgo”, com Slam das Gurias (Curitiba)

19h Batalha de rima com apresentação de Lubs

21h Show de rap com Rapadura

+ DJ nos intervalos entre as apresentações

Haverá intervalos de microfone aberto ao público durante o Sarau e o Slam. As inscrições para o microfone aberto devem ser feitas durante os espetáculos.

 

Ficha Técnica:

Realização: PR Educação e Cultura

Coordenação Geral e Curadoria: Érica Paiva Rosa

Produção Executiva e Coordenação Financeira: Pedro Marques

Coordenação de Comunicação: Ana Favorin

Social Media: Dayhara Martins

Assistentes de Produção: Nathalia Kretschmer e Felipe de Moraes

Produção Audiovisual: Gabriel Brunini

Assessoria de Imprensa: 2 Coelhos Comunicação e Cultura

 

PROJETO APROVADO PELA SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA – GOVERNO DO PARANÁ, COM RECURSOS DA LEI PAULO GUSTAVO, MINISTÉRIO DA CULTURA – GOVERNO FEDERAL 

Você também pode gostar

1ª Zine Ingá terá exposição, debates e oficinas gratuitas nos dias 8 e 9 de junho
O zine é uma forma de publicação artesanal que, desde os anos 1970, tem sido escolhida por muitos artistas brasileiros, em especial os iniciantes e à margem do mercado editorial, para expressar suas ideias, poemas, letras de música, fotografia, colagem, desenho, entre out...
Documentário sobre a comunidade surda de Maringá está disponível no YouTube
Após sua estreia presencial no CineSesc no dia 3 de maio, o documentário “Uma história em muitas mãos” agora está disponível no YouTube, no canal do Maringá Histórica. Com roteiro de Miguel Fernando e direção de Thayse Fernandes e Daniele Miki, a obra aborda even...
Grupo Batucar promove espetáculo musical utilizando instrumentos não convencionais
No próximo dia 24, o grupo Batucar estreia seu segundo espetáculo musical em Maringá, intitulado “Arritmia”, promovendo seis apresentações gratuitas nos dias 24, 25, 26 e 31 de maio e 01º e 02 de junho, sempre às 20h, na A Toca Espaço Cultural. A proposta é ressig...